segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Pilha do gato


A extraordinária Luísa Ambrósio era parte da família Cavalcante da Ponte, em Sobral. Cuidava da cozinha da casa e dos nove filhos de Dona Socorro. Torcedora número um do Guarany de Sobral, passava a grande parte do seu dia ligada nos programas radiofônicos da cidade.

Pois bem, certa vez, Luísa solicitou do patrão:

- Seu Aurélio...
- Diga Luísa. Respondeu Seu Aurélio.
- Seu Orelo, não compre mais essas pilha do gato, não, viu?
- Por que?
- Porque com essas pilha réia o rádio só dá notícia ruim!

domingo, 30 de agosto de 2015

Caçador de veados

Com a finalidade de se dedicar à caça de mamíferos herbívoros, pertencentes à Família Cervidae, o Bosco está cursando aulas de tiro, tendo como arma a espingarda. 


Sobre o assunto, ele comenta: “Veados são encontrados em todo o mundo e espero não ser acusado de homofóbico”.

Talvez o Bosco não saiba, mas, predados pela maioria dos grandes mamíferos, muitas espécies de veados se encontram ameaçados de extinção, em razão da caça e perda de habitats.

(Foto: Kaká Luna)

O jeton e o mamão


Jeton era a remuneração percebida que se fazia a parlamentares, no Brasil, nos níveis municipal, estadual e federal por sessões extraordinárias.

Falando nisso, no final dos anos 1970, um atuante deputado estadual por várias legislaturas almoçou bem e depois partiu para uma reunião extraordinária na Assembleia. No caminho, apressado que só, parou em um semáforo, espiou o entorno da esquina e avistou um outdoor que exibia um reclamo de frutas, estampando um carnoso mamão.

Bem, sabemos do benefício do mamão para digestão. O Mamão, por ser uma boa fonte de fibra, pode fazer maravilhas quando se trata de digestão, pois suas enzimas digestivas auxiliam a inibir a constipação.

Ora, se o nobre deputado já tinha o intestino frouxo, só de olhar o fruto já lhe deu uma enorme e incontrolável vontade de evacuar. Na hora, pediu para seu motorista e fiel escudeiro dar meia volta e retornar para casa com urgência. Enfezado, quando chegou, avexado foi direto para o banheiro e livrou-se do incômodo. Quando voltou à sala, o motorista perguntou:

- Deputado, o senhor ainda vai à sessão?
- Vou à Assembleia, mas, já perdi a sessão...
- Não vai dar mais tempo?
- Vai não... Que merda, por causa duma cagada perdi meu jeton! Ô mamão caro, aquele do sinal!

sábado, 29 de agosto de 2015

Assédio


Eu entendo o assédio moral como um ato de humilhação, isto é, um abuso de desrespeito, de ofensa, menosprezo, rebaixamento, constrangimento etc. Até porque, geralmente, a vítima dele se sente desvalorizada e envergonhada.

Falo agora de assédio moral porque me contaram que um conhecido cabra metido a galanteador, um autêntico imbecil, assim perturbou uma jovem e linda garçonete:

- Qual o seu nome, tesouro?
- Mercedes, senhor !
- Lindo nome. O sobrenome, por acaso, é Benz?
- Não, senhor!
- Vem cá, gata, a gente já não se topou em algum lugar antes?
- Provavelmente, não.
- Bem, vou direto ao assunto...
- Vai fazer seu pedido?
- Vou fazer uma proposta...
- Como, senhor?
- Depois daqui, quando terminar o seu expediente...
- Desculpe, não estou entendendo, senhor. 
- A gente vai para a sua casa ou para a minha?
- Os dois. O senhor vai para a sua casa e eu vou para a minha. 

Aí, a digna jovem se retirou e o conquistador barato esboçou um cínico sorriso, pegou o telefone e pôs-se a fazer ligações.

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

La Trattoria


A La Trattoria, do italiano Alfio, marcou época na Praia de Iracema dos anos 1980, em Fortaleza. Com ambiente rústico e descontraído, decorado com diversos e curiosos objetos, à meia luz e com suas toalhas de mesa quadriculadas, típico das cantinas italianas, a La Trattoria se estabeleceu com a melhor cozinha italiana da cidade.

Dentre seus pratos, a lasagna verde alla bolognese se destacava. Assada em forno à lenha e consagrada pelos mais exigentes paladares, era servida em pequena travessa que vinha com o queijo deliciosamente queimado grudado em suas beiradas.

A sua mesa de antepasto, novidade na época, possuía uma enorme variedade de queijos, embutidos, conservas, pães e frios. As largas pizzas chamavam atenção devido ao seu generoso tamanho. Combinados com finos vinhos, então, os manjares harmonizavam-se com os sabores inspirados nas tradições italianas.

Na La Trattoria, estacionávamos os carros vis-à-vis às pedras que resguardavam a praia do mar, ou numa área livre, onde hoje é o Largo Luiz Assunção. Na cantina, havíamos a opção de abancarmos às mesas externas e sermos beijados pelas brisas marítimas, ou no intimista recinto interno, experimentando a Itália.

No salão, parece que estou é vendo, os garçons e clientes balançando um divertido chocalho pendurado numa cangalha pendida ao teto, fazendo um barulho danado e à todos alegrando.

Mas, por razões que desconheço, a La Trattoria foi-se embora da Praia de Iracema para nunca mais voltar. Levou com ela o sossego que reunia famílias, amigos e casais de apaixonados namorados. Deixou muita saudade. Saudade de um tempo onde a nossa bucólica Fortaleza adolescia, fazendo-se de lua para desposar-se do sol. 

(Foto: Acervo Ramiro Barroso)

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Da-rede-rasgada


A quem interessar possa, "da-rede-rasgada" é uma expressão popular nordestina que significa alguém que não leva nada à sério, moça mal comportada ou até mesmo uma pessoa leviana.

(Foto: Google)

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Em qualquer papel, de Ubiratan Aguiar

Sósia profissional

O sósia é um indivíduo muito parecido com outro, podendo mesmo ser confundido com este. O sósia profissional é aquele que tem a missão de se passar por alguém, livrando-o de diversas situações desfavoráveis.


Sobre o assunto, reza a lenda que, certa vez, um oficial iraquiano chamou os oito sósias do Saddam Hussein e disse: “Tenho boas e más notícias. A boa é que Saddam está vivo”. Todos os sósias festejaram. E continuou: “A má é que ele perdeu um braço”.

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Mortal humano


Em um banco da Igreja de Nossa Senhora do Carmo, em Fortaleza, encontrei bem caligarafado numa folha de papel almaço:

"Quando a minha alma deixar o meu corpo, eu não sentirei pesar da decrépita carne, incrédula de quimeras.

Navegarei por desconhecidas dimensões, voarei em luz de estrelas e, singular, serei plural.

Habitarei o meu ser com o desapego do espírito à matéria. Na liberdade de seguir, me eternizarei com a fé de existir muito além dos mistérios que o tempo nos guarda.

Mortal humano, em lume virarei."

(Foto: Google)

Psicólogo

Dr. Zacarias Silva.

E não é que o Dr. Zacarias Silva quis dar uma de psicólogo! Porém, se enganchou todinho ao ouvir uma paciente dizer “Doutor, doutor, ninguém me entende”, e responder: “O que é que a senhora quer dizer com isso”?

(Foto: Zecaneto)

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Roda de trem

Professor Carlinhos Analfabético.

Explica o professor Carlinhos Analfabético que “a roda de trem é de ferro porque se fosse de borracha apagaria a linha”. 

(Foto: Zecaneto)

domingo, 23 de agosto de 2015

Futebol musical


Em janeiro de 2002, Fagner participou de um jogo amistoso entre Fortaleza e Maranguape, no Estádio Presidente Vargas, em Fortaleza. Por determinação do técnico Luiz Carlos Cruz, o cantor substituiu Clodoaldo, ídolo da torcida tricolor. O Fortaleza venceu por 3x0 e Fagner não marcou gol, porém, prestou várias assistências ao ataque do Leão do Pici.

Lembro que, Fagner surpreendeu o zagueiro adversário, pedindo-lhe que aliviasse um pouco a sua marcação, mas, foi negado em razão de recomendação do Argeu dos Santos, treinador do Maranguape, de absoluta atenção com o perigoso atacante.

Logo depois, em Blumenau, Fagner retribuiu a gentileza de Luiz Carlos Cruz, escalando-o de técnico do seu time de peladas, em que jogavam os seguintes craques: Zé Carlos Cafuné, Márcio Santos, Valverde, Dunga, Mauro Silva, Jorginho, Paulo Nunes, Donizete Pantera e o próprio Raimundo. Antes de entrar em campo, Cruz fez uma emocionada preleção, agradecendo a inesperada oportunidade de treinar aquela galáctica equipe.

(Foto: Acervo de Raimundo Fagner)

Del’Alma


Del’Alma
(Totonho Laprovitera)

Del’Alma, a morena 
da boca bem frocada,
era dama toda noite 
Beijava um de cada, 
buscando algibeiras 
nos bolsos pelas beiras, 
ao fim da madrugada. 

Del’Alma, argentina
das bandas do Serviluz,
era lá do Paraguai 
Quando apagava a luz, 
caqueava bem no breu 
Na casa do Seu Abreu, 
atacava os zulus

Del’Alma, amorosa, 
temperava-se de sal 
do suor dos largados 
O que bem fazia mal
nada via, cegava 
Calada, segredava, 
partia sem dizer tchau

Dignidade humana


Comumente, me pego a refletir como a humanidade engatinha em termos de dignidade humana. Por exemplo: Em um passado não tão distante, ao meu ver, esta foto mostra crianças e adultos, vítimas da seca de 1932, mortos à margem da linha férrea que ia bater no Campo de concentração de Senador Pompeu, um verdadeiro curral humano.

É, por incrível que pareça, ainda sofremos as agruras da seca, hoje em dia.

(Foto: Google)

Mentiroso?


Desde pivete, Serginho já era cheio de história. E criava cada uma... 

Pois bem, mal começou a falar, já disse para mãe que na escola lhe chamaram de mentiroso. A mãe respondeu:

- Cala a boca, menino, que você nem vai à escola ainda!

C. S. Lewis


"Você não tem alma. Você é uma alma. Você tem um corpo." (C.S. Lewis)

Clive Staples Lewis (1898-1963) foi um escritor irlandês, conhecido pela sua obra acadêmica sobre Literatura Medieval, Apologética Cristã e pela série de livros de ficção As Crônicas de Nárnia.

(Foto: Google)

sábado, 22 de agosto de 2015

A pesquisa


Uma jovem pesquisadora do IBGE foi bater em uma pequena propriedade, ali pelo Sítio Cascudo, em Icó.

- Com licença.
- Pois não.
- Essa terra dá mandioca?
- Dá não, senhora.
- Dá batata?
- Também não, senhora!
- Dá feijão?
- Ih, nunca deu!
- Arroz?
- De jeito nenhum!
- Milho?
- Vixe...
- Quer dizer que por aqui não adianta plantar nada?
- Ah, se plantar, aí é diferente...

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Pimbinha


Chegado de Sobral, passando férias na casa do primo Chiquinho, em Fortaleza, Aloísio foi à praia do Ideal. Com os pés descalços, sem camisa, calção frouxo e sem cueca, entre as meninas trajando miúdos biquínis, olhou para o mar e não teve dúvida: meteu o pé na carreira e deu uma tainha! Quando saiu, com os olhos encarnados, o calção de pano fino estava transparente e grudado no corpo, o que chamava a atenção de todos, pois o tamanho da jiboia do Aloísio batia quase no joelho.

Abismada, a galera na praia o reparava. Os banhistas nunca tinham visto nada igual. O mulherio com aquele sorrisinho, o macharal com uma inveja medonha... 

Aí, notando a situação, Aloísio ficou com vergonha e gritou: 

- Que que foi?! Quer dizer que quando pulam n’água fria, a pimbinha de vocês não encolhe, não?!

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Sarau


Dizem as más-línguas, que, ao ser convidada pelo novo namorado intelectual para ir a um sarau, a jovem Dalila teria dito: 

- Sei nem o que é, mas já vou é sem calça!

(Foto: Google)

Vivências de um profissional

Eu vou e recomendo.