quarta-feira, 16 de abril de 2014

O empresário do amor


Decididamente, Celso Barreira, o Maninho, é o cara!

O empresário do amor, como é conhecido no ramo de estabelecimentos de hospedagem de alta rotatividade para encontros sexuais rápidos e discretos, está negociando a construção de um motel em Teresina, Piauí.

“O negócio está quase fechado. Não sei se vocês sabem, mas, sexo ainda dá dinheiro! Quando da inauguração, para meus amigos, tudo, tudo será grátis, inclusive as passagens e hospedagem”, revela Maninho.

Sobre Elizabete Lourdes Oliveira, proprietária da afamada boate Beth Cuscuz, que funciona há mais de 35 anos em Teresina, ele comenta: “Essa senhora nunca pode deixar de ficar de lado, pois durante décadas e décadas resolveu o problema do pessoal de Teresina. Ela vai estar presente e homenageada na inauguração do motel. Ela e outras. Ah, e também a sociedade de Teresina”.

No mais, Celso Barreira revela sobre sua mais nova viagem turística: “Vou passar a Semana Santa na maior cidade produtora de vinho, Flores da Cunha, no Rio Grande do Sul. Vou trazer vinhos para todos! Não tenho culpa se sou empresário do amor e posso me absorver me presenteando desses passeios”.

(Foto: FB)

Carlinhos Papai


O Fernandão Câmara foi quem me enviou esta foto do Carlinhos Papai, há 23 anos.

(Foto: Fernando Câmara)

terça-feira, 15 de abril de 2014

Feijão ao Vaval

Por Romeu Duarte.

 

"Há quem aprecie o feijão verde coberto de nata, repleto de queijo coalho e vitaminado com creme de leite. Confesso que tal acepipe nunca me encheu a boca d'água. Miesiano ('menos é mais') até na gastronomia, sempre gostei mais do feijão rústico, seja verde ou de corda, servido em seu próprio substancioso caldo, na companhia de alguma furtiva carne curtida e de alguns legumes necessários, tais como maxixe e quiabo. 
 
Quem compartilha comigo este singelo gosto não pode deixar de conhecer o feijão do Vaval, simpático e musical bar postado na fronteira do Bairro de Fátima com Joaquim Távora, na Lauro Maia. Às segundas, dia de profissionais, é uma festa só para os sentidos, principalmente o paladar e a audição. Estive lá ontem, na companhia do proprietário e de alguns amigos que preferem o mundo real à tela da Rede Globo. Presentes, dentre outros, Totonho Laprovítera, Bosquinho, Maninho, Régis Soares, Chico Pio e Raimundo Fagner, este um habitué do estabelecimento. 
 
Para equilibrar a terça, pedi um feijão ao Vaval. Grãos do Vigna unguiculata, deliciosamente cozidos em boa camaradagem com nacos de charque gordo, imersos num caldo suculento com pequenos pedaços de queijo, vieram dar à mesa, compondo o recheio de uma terrina de barro. Azeite Gallo e molho de pimenta acochado no conhaque, ambos à mão, não deu outra. A cana desceu redonda, escorregando nas gostosas favas, secundada por goles de uma Antárctica gelada no ponto. 
 
Depois, foi ouvir o Chico Pio cantando suas belas canções (alô, alô, produtores musicais da terra, o homem é gênio). Com aula cedo no dia seguinte, chamei um táxi e parti na noite, meio a contragosto. A vida é boa quando se gosta dela."
 
(Foto: Google)

Fotografia

Chuva em Aquiraz. Foto de Totonho Laprovitera.

Basquete, 1978

Seleção brasileira de basquete, terceiro lugar no Mundial de 1978.

Da direita pra esquerda. Em pé: Carioquinha, Marquinhos, Marcelo Vido, Adilson Nascimento, Robertão, Gilson e Oscar. Agachados: Hélio Rubens, Marcel, Fausto, Ubiratan e Agra.


(Foto: FB)

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Nilo Sérgio

Nilo Sérgio.

Fazia um bom tempo que eu não me encontrava com o amigo Nilo Sérgio, um dos melhores papos que conheço.

- E aí, Nilo, tudo bem?
- Tudo bem, e com você!
- Também. Amigo, alguma novidade?
- Ah, tenho.
- Pois conte.
- Vou contar. O sobrinho adolescente pediu a Chico Nenem uma opinião sobre usar um brinquinho para brincar o animado carnaval de Várzea Alegre. Sabe qual foi a resposta?
- Não.
- “Menino, tu pra dá este lorto num precisa deste arrodeio todo não!...”

Depois, sobre política, Nilo Sérgio comentou:

- Por falar em eleição, sabe o que Vicente disse para o alfaiate que dividia com ele o espaço da barbearia, e que afirmara não votar no Doutor Hamilton, para prefeito de Várzea Alegre?
- Não.
- “Num vota porque é filho ingrato, mas ele comeu sua mãe escondido vinte ano!"

Em Orós

No Rio Seco, em Orós, no início anos 1970. 

Seu Eliseu, Dona Isaura Batista e Padre Djalvo.

(Foto: Roger Dantas)

domingo, 13 de abril de 2014

Fortaleza, amante


Fortaleza, amante
(Totonho Laprovitera)

As ruas descalças contam mil histórias
da menina, mulher, dourada de sonhos
Da pureza da calma de um grande amor
à natureza da alma de um pescador

Traçadas as praias pela beira do mar,
em desenho pintado pelo verde das águas,
são beijos de língua com gosto de sal,
pecados, vontades, razões de viver

Sopra a brisa com cheiro do amar,
embalando os corpos a navegar
Tem fachos de sol o calor dos desejos
dos namorados banhados de luar

O brilho no olhar da luz das estrelas
é clarão de farol que guia a certeza
e norteia a beleza da delicadeza,
para amante ser minha a Fortaleza! 
 
(Foto: Totonho Laprovitera)

Cherrizinho, de Martine Kunz


É hoje!

Era estranhamente cedo


Bolindo em meu baú de antigos arquivos, encontrei este texto que deve ter sido escrito lá pelos meados dos anos 1980.

Era estranhamente cedo, para mim, acordar às sete da manhã. Até parecia que eu iria jurar a bandeira na junta militar. Mas, não era nada disso. Eu apenas interrompia meu sereno sono para ver o que estava acontecendo pela janela.

A companhia de energia podava as árvores da rua e o amolado barulho dos facões, combinado com o cair dos galhos, e as conversas fiadas dos peões tiravam-me da rede para que eu pudesse assistir o alvorecer do dia. Pensei na vida e senti a preguiça de encarar a pressa dos que passam pelo mundo. Depois, caminhei até à cozinha e tomei um breve gole de café. Calmamente, acendi um cigarro e entre um trago e outro bati a cinza no velho e companheiro das madrugadas cinzeiro.

- Caiu da cama? Perguntou-me a minha mãe.
- Acho que caí do sono. Respondi.
- Faz bem acordar cedo...
- É que minha natureza é notívaga.
- Larga de ser preguiçoso...

Interessante, como as pessoas, por mais próximas que nos sejam, não compreendem que todos temos nossas natas individualidades. É difícil fugir dos rótulos. Dormindo pouco é porque somos excitados demais ou estamos virando lobisomem. Dormindo muito é preguiça em demasia. Eu não durmo muito, nem pouco, durmo o suficiente. Agora, o que acontece é que invariavelmente durmo tarde. Tarde para os outros. Pra mim durmo na hora certa. A madrugada me é companheira e inspira a minha criatividade. Gosto de ler, escrever, desenhar e pintar. Gosto de ouvir música e de ouvir a rádio mixada com os longínquos latidos dos cães da rua. O som do silêncio também me fascina, mas hoje em dia é coisa rara. Tão rara que faz é tempo que não consigo sequer ouvir a minha circulação
sanguínea.

- Ainda tá acordado?! Vai dormir, rapaz...
- Vou já...
- Tá sempre trocando a noite pelo dia...
- A noite faz parte do dia...
- Deixa de conversa e vai dormir...
- Vou já.

A mesma lenga-lenga de sempre...

Sabe, quando me recordo dessas passagens da minha adolescência tenho a certeza de que tudo que a gente faz na vida tem a sua razão de ser. Lembro de uma época em que eu tinha o hábito de fazer palavras cruzadas e jogos tipo sete erros, labirinto e ligue os pontos, eu falava, cá comigo:

- Que coisa mais sem futuro... Será que isso me vai ser útil um dia?

Não demorou muito o tempo em que ao fazer uma prova de habilidades específicas, parte da seleção para ingresso na universidade, deparei-me com questões similares às do meu “inútil” hábito.

Muitos dos meus descompromissados rabiscos já se tornaram excelentes desenhos e projetos. E daí, lá chega de novo a história do sono. Pois bem, já me ocorreram grandes ideias em sonho e eu as desenvolvi e as materializei, decorrendo em grandes produções e trabalhos. Hoje em dia, já nem sei se até o nada fazer é inútil! Aliás, nesses tempos onde os recicláveis tem tamanho valor e importância, nada é inútil. Inútil, no meu modo de ver e viver, somente o desamor. Sobretudo, o desamor à vida. E a vida não se resume apenas à nossa, a vida é divinamente vasta e ampla. E simples, acreditem. Dói-me ver o desprezo dos ditos humanos com os mais fortes e significativos valores da vida em troca de comportamentos e atitudes fúteis e vazios. Ser humano é ser humano. É quando penso: a gente veio ao mundo para ser feliz! E é quando peso: quanto vale o nosso tempo de existência? Jamais deveremos ser espectador da vida, temos mais é que realizar e vivê-la.

Enfim, o maior segredo da felicidade está em cada um de nós. Para sermos felizes, basta termos a consciência de quem somos. E, muitas das vezes em que a gente procura ser a gente mesmo, não é fácil, não. Quando vejo as pessoas enquadradas dentro dos ditames do que seja a realização pessoal, lembro que o mundo não é uma fazenda e não somos gado. É certo que em grupo somos mais do que cada um de nós, claro, mas individualmente devemos ser cada um de nós mesmo. Jamais poderemos na vida representar um papel. Devemos, sim, ser o resultado do que realmente somos. Essa busca deve acontecer no exercício diário da vida. Outro dia, conversando com um político, observei que ele falava de si próprio na terceira pessoa. Pensei, cá com meus botões: É por isso que ele dorme tranquilo, pois no sono ele é ele mesmo. Ou seria vice-versa? Quanto controle... O perigo reside quando o personagem criado domina o criador. Mas, essas coisas banais hoje em dia, tipo honestidade, está de um jeito que até já ouvi de um perseverante empresário, em brados:

- Neste ano enrico, nem que seja honestamente!

Qual o verdadeiro sentido da riqueza?, me perguntei. Parece doidice minha, mas, juro por Deus, como não entendo as pessoas que para serem ricas precisam de dinheiro... E isso não é apologia à pobreza, não! Dinheiro, claro, é bom demais, ruim é a falta dele. Mas, não podemos alicerçar nossas vidas em cima do ter sobre o ser. Duas coisas cedo aprendi. Uma: O verdadeiro rico é aquele que sabe ser pobre. Outra: É melhor ser rico com saúde do que pobre doente.

Quanto custa para quem leva a vida calcada no ser? Sendo através do ter, bote grana! O que falta na sociedade, hoje em dia, é saber avaliar essa riqueza passiva do ser. Não tem dinheiro no mundo que pague um sorriso de uma criança, nem um conselho de um velho. Aliás, mudando de conversa, não tem coisa melhor para ressaca do que um cheiro na cabeça de um bebê. É melhor do que chorar quando bate uma porta. Mas, para ressaca de papo ruim, nada dá jeito. A única coisa a fazer é você reagir com esforço para que as ouvidas asneiras não lhe impregnem o juízo. Ouvir besteira não tem cão que aguente. Porém, jamais confunda besteira com amenidade. Amenidade é uma utilidade para a saúde da cabeça. Por isso, saiba, quando você ouve besteira é fácil de constatar seus primeiros sintomas. Número um: ressaca. Número dois: você volta pra casa se sentindo burro. É dose!

Pois é, no mais, todo ser humano já nasce vencedor. Caso não o fosse, não tenham dúvida, nem teria nascido.


(Foto: Ney Filho)

sábado, 12 de abril de 2014

Feira de Artes do Estoril

Neste domingo (13), dia do aniversário de Fortaleza, tem mais uma Feira de Artes do Estoril, partir das 17h, que nessa edição celebra a data comemorativa. E, às 19h, tem lançamento do livro "Cherrizinho", de Martine Kunz!
 

Dieta para ácido úrico


Segundo a nutricionista Tatiana Zanin, "a dieta para ácido úrico deve ser pobre em carnes. Na dieta para ácido úrico elevado é importante ingerir cerca de 3 litros de água por dia para auxiliar a excreção de ácido úrico e para minimizar a possibilidade da formação de cálculos renais.

As carnes e os alimentos ricos em proteína devem ser evitados porque contem purinas, substância responsável por aumentar os níveis de ácido úrico no sangue, que se acumulam nas articulações e nos tecidos provocando dor.

Os alimentos que devem ser evitados na dieta para ácido úrico são:

- Molhos, caldos de carne, canja, extrato de carne;
- Carne, vísceras, frango e outras carnes de animais jovens (cabrito, leitão, vitela);
- Mariscos, anchovas, sardinhas e outros peixes gordos;
- Espargos, feijão, couve-flor, lentilhas e cogumelos;
- Bebidas alcoólicas, especialmente cerveja. 

A dieta para reduzir o ácido úrico do sangue deve conter alimentos com efeito alcalinizante por isso é importante consumir produtos pobres em gordura e pobres em açúcares. 

Qualquer dieta específica para reduzir o ácido úrico deve ser estipulada e acompanhada por um profissional qualificado como o nutricionista."

(Foto: Google)

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Fagner & Zé Ramalho


Fagner acaba de me contar, em primeira mão, sobre suas mais recentes boas novas.

Seguinte. Ontem, na audição do seu novo CD, com a direção da Sony, ele foi aplaudido de pé pela qualidade de seu trabalho.

Na ocasião, também foi assinado o contrato do CD-DVD Raimundo Fagner & Zé Ramalho, o qual será dado o pontapé inicial domingo próximo, dia 13/04, aniversário da cidade de Fortaleza.
 
É muito bom saber que a categoria musical da MPB está sendo bem cuidada!

Dom José Tupinambá da Frota


Dom José Tupinambá da Frota (1882-1959) foi o primeiro bispo de Sobral, Ceará, e o segundo bispo de Uberaba, Minas Gerais.

Filho de Manoel Artur da Frota (1852-1928) e Raimunda Artemísia Rodrigues Lima (1855-1936),
Dom José nasceu em Sobral, em 10 de setembro de 1882. Ingressou na Pontifícia Universidade Gregoriana, em Roma, onde conquistou o grau de doutor em filosofia e em teologia. Morou no Colégio Pio Brasileiro e em 1905 ordenou-se sacerdote. Retornou ao Brasil em 1906, quando lecionou no Seminário Maior do Ipiranga, em São Paulo.

Em 1908, foi nomeado vigário de Sobral. Em 1916, criado o bispado da cidade, foi eleito o primeiro bispo, permanecendo no cargo até 1923, quando foi transferido para diocese mineira de Uberaba. Porém, no ano seguinte foi nomeado novamente bispo de Sobral, diocese na qual permaneceu até falecer, em 25 de setembro de 1959. 
Fundou o Seminário da Betânia - Diocesano; os Colégios Sobralense e Santana; o Abrigo Sagrado Coração de Jesus; o Patronato Imaculada Conceição; o Museu Diocesano; e a Santa Casa de Misericórdia.

Estudioso da genealogia, foi sócio correspondente da Academia Cearense de Letras, do Instituto do Ceará e do Instituto Brasileiro de Genealogia.

(Foto: Google)

quinta-feira, 10 de abril de 2014

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Virgem


Virgem é o único signo representado por uma mulher. É caracterizado por sua precisão, sua convencionalidade, sua atitude reservada e seu afã, as vezes até obsessão, com a limpeza. 

Virgens costumam ser observadores e pacientes. Podem parecer as vezes frios, e de fato lhes custa fazer grandes amigos.

(Foto: Google)

terça-feira, 8 de abril de 2014

Bruno, Cacá, Jabor e Glauber

Bruno Barreto, Cacá Diegues, Arnaldo Jabor e Glauber Rocha.

O carioca Bruno Barreto (1955) é um cineasta brasileiro, notável por dirigir Dona Flor e Seus Dois Maridos, o segundo maior público da história do cinema brasileiro, com 10 milhões de espectadores, e O Que é Isso, Companheiro?, indicado ao Oscar de filme estrangeiro.

Nascido em Maceió, Carlos Diegues, mais conhecido como Cacá Diegues, (1940) é um premiado cineasta brasileiro. Foi um dos fundadores do Cinema Novo.

O carioca Arnaldo Jabor (1940) é um cineasta, roteirista, diretor de cinema e TV, produtor cinematográfico, dramaturgo, crítico, jornalista e escritor brasileiro.

Baiano, de Vitória da Conquista, o genial Glauber de Andrade Rocha (1939-1981) foi um cineasta brasileiro e também ator e escritor. Sendo um dos responsáveis pelo movimento de vanguarda intitulado Cinema Novo, produziu filmes de grande repercussão como Terra em Transe e Deus e o Diabo na Terra do Sol.

(Foto: Google)

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Rivera, Amado e Neruda

Diego Rivera, Jorge Amado e Pablo Neruda.

De origem judaica, Diego María de la Concepción Juan Nepomuceno Estanislao de la Rivera y Barrientos Acosta y Rodríguez (1886-1957) foi um dos maiores pintores mexicanos. Foi casado com Frida Kahlo.

O baiano Jorge Leal Amado de Faria (1912-2001) foi um dos mais famosos e traduzidos escritores brasileiros de todos os tempos.

Pablo Neruda (1904-1973) foi um poeta chileno e um dos mais importantes poetas da língua castelhana do século XX. Foi cônsul do Chile na Espanha e no México.

(Foto: Google)

domingo, 6 de abril de 2014

The Scream!

 
The Scream! Performance by Totonho Laprovitera and Maximilian Magnus, in Tofik House Art Club, São Paulo.
 
(Fotos: Joana Laprovitera)

Carlos Jereissati e Paulo Sarasate

 Carlos Jereissati e Paulo Sarasate.
Como político, o industrial, empresário e banqueiro Carlos Jereissati (1917-1963) foi deputado federal, de 1955 a 1963, e senador, em 1963, pelo Ceará. 

Filho do maestro Henrique Jorge Ferreira Lopes e de Júlia (Magalhães) Jorge Ferreira Lopes, o advogado, jornalista e político Paulo Sarasate Ferreira Lopes (1908-1968) começou a vida política como deputado estadual, em 1934. Foi deputado federal por quatro legislaturas: 1946, 1951, 1959 e 1963, tendo concluído todos os períodos. Governou o Ceará de 1955 a 1958, e terminou a sua vida pública como senador, em 1968, sem completar o mandato.

(Foto: Google)