domingo, 1 de fevereiro de 2015

Mestre Aldemir


Em 1997, quando participei de uma coletiva de pinturas com Aldemir Martins e Fagner, em Fortaleza, o hábito de fumar charuto estava pegando moda.

Pois bem, na montagem da exposição, Aldemir me perguntou onde poderia comprar charutos. Daí, falei da existência de uma charutaria que era do Pagliuca, conhecido dele, porém, se ele desejasse, eu tinha um muito bom que havia ganho recentemente. 

Aceito o regalo, Aldemir agradeceu e passou a crer que eu era um habitual charuteiro. De início, foi ao Pagliuca, me inscreveu no seleto Clube do Charuto, onde comprou-me boas marcas. Desde então, toda vez que vinha à Fortaleza, trazia-me maços dos mais famosos fabricantes. 

Em uma das últimas vezes que estive com o mestre Aldemir, além dos charutos, ele me presenteou com um belo chaveiro feito com amostras de diversas madeiras nobres brasileiras, o qual uso como porta-chaves da sede da Arte Quattro, mais do que um empreendimento, um projeto de vida dos Laprovitera da arte.

(Foto: Totonho Laprovitera)

Arte!


“A arte existe porque a vida não basta.” (Ferreira Gullar)

Universos


Como diria Toim da Meruoca, “Quando me falta tempo, eu crio universos”.

(Foto: Totonho Laprovitera)

Sobreviventes de Auschwitz


Lajos Erdelyi, 87, sobrevivente do campo de concentração de Auschwitz-Birkenau, na Polônia, comandado pelos nazistas, guardou um desenho feito por um dos prisioneiros do campo. Erdelyi foi levado para o mortal local em maio de 1944 e, tempos depois, foi levado para outro. Quando foi libertado, pesava menos de 30 kg, mas tentou andar até sua casa. No meio do caminho, desmaiou e foi levado ao um hospital por um agricultor. 

Fonte: Uol.
(Foto: Laszlo Balogh/Reuters)

Invenção do século?


Ao ver a foto do insaciável Bosco tomando uma cerveja pelo canto da boca, Paulo César Norões comentou:

- Oxe, garrafa comestível, agora, é? Que nem casquinha de sorvete?

Daí, Daniel Lima emendou: 

- Seria a invenção do século, Paulo César Norões.

Acompanhando tal diálogo, o professor Carlinhos Analfabético já se prontificou estudar a possibilidade do uso da casquinha como embalagem de cerveja. E nos adianta:

- A probabilidade de dar certo é graúda, dependendo da fórmula do invólucro. A fibra obtida dos tecidos do torresmo pode ser a solução para obtermos êxito em tal desafio.

(Foto: Totonho Laprovitera)

sábado, 31 de janeiro de 2015

Falsificación

Novo computador da "Apple".

Tem jeito não, hoje em dia estão falsificando tudo quanto é produto, principalmente aqueles que se tornam objetos de desejo.

(Foto: Google)

Seminu


Depois de ter sido correspondente no exterior pelo Jornal do Brasil, o jornalista Alexandre Garcia foi subsecretário de imprensa e porta-voz da Presidência da República por 18 meses, no início do governo do general João Figueiredo.

Foi demitido em 1980, após posar seminu para a revista Ele & Ela, deitado em uma cama e falando de sua vida sexual.

(Foto: Google)

Sobreviventes de Auschwitz


Elzbieta Sobczynska (nome de solteira Gremblicka), 80, sobrevivente do campo de concentração de Auschwitz-Birkenau, foi registrada no campo com o número 85.536. Na foto de 7 de janeiro de 2015, ela posa para a foto de Varsóvia, na Polônia. Ela foi levada ao campo aos 10 anos, junto da família. Mas logo depois foram separados em grupos de mulheres, garotas e garotos.



Elzbieta guardou o relógio de seu pai, mantido por seu irmão enquanto eles estavam no acampamento. Ela diz que sua infância foi roubada e que perdeu a oportunidade de experimentar um tipo diferente de vida.


Fonte: Uol.
(Fotos: Kacper Pempel/Reuters)

A candidata

Valtim.

Era setembro, e Valtim viajava pelo interior. Numa pequena cidade, quando parou e desceu do carro para estirar as canelas, avistou o movimento da armação de um palanque. Era a preparação do comício de uma candidata que disputava a prefeitura da cidade. Pelos comentários, logo deu para perceber que sua liderança era tão grande quanto o preconceito dos machistas locais. Ficou sabendo que seu comportamento era bastante criticado pelos inimigos políticos. O povo falava que aquele era o comício da resposta. Afinal, ela não era do tipo de mulher que leva desaforo pra casa. Valtim, no bar, já se animando com as fofocas e com o rum com Coca, resolveu ficar para assistir a confusão. E foi confusão mesmo, principalmente quando, mais tarde, justamente no encerramento, ela esbravejou do palanque:

- Meus amigos, eu sei que estão metendo o pau em mim por trás!

A sua assessoria foi tentar contê-la, diante da perplexidade dos ouvintes, mas ela continuou com toda o gás:

- Mas não faz mal, são adversários covardes os que fazem isso comigo! Quero ver é se aqui tem algum macho pra meter o pau em mim é pela frente, que aí vocês vão ver eu gozando na cara dele!!!

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Miss Linguiça


Notícias no chegam dando conta que a eleita Miss Linguiça 2014 terá editado neste 2015 um calendário adulto para açougueiros.

(Foto: Google)

Pen drive dental


A negada não tem mais o que inventar! Pois não é que fizeram agora um pen drive numa dentadura postiça, que saca quando se puxa os dois dentes da frente, ou seja, os incisivos.

(Foto: Acervo Claudio Henrique Santos)

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Unha encravada


A unha do pé encravada é um bicho danado, pois acontece quando a beira da unha cresce e entra no couro do dedo, causando dor, vermelhidão e inchaço.

São sinônimos de unha encravada: onicocriptose, unha incarnada, avlusão da unha e excisão de matriz.

(Ilustração: Google)

Sobreviventes de Auschwitz


Marian Majerowicz, 88, sobreviveu ao campo de concentração nazista de Auschwitz, na Polônia, onde foi registrado com o número 157.715. Na foto de 13 de janeiro, ele está em Varsóvia. Natural de Myszkow, Majerowicz foi enviado para o campo de concentração quando tinha 17 anos. No campo, ele encontrou seu pai, que lhe contou que sua mãe e seu irmão mais novo haviam sido mortos em câmaras de gás. Seu pai também não sobreviveu a guerra.

Fonte: Uol.
(Foto: Kacper Pempel/Reuters)

Recalque


O recalque denomina o mecanismo pelo qual o indivíduo busca excluir do seu consciente aspectos que avalia como inaceitáveis.

É um processo ativo no qual a pessoa tenta sustentar ao plano do inconsciente emoções, desejos, lembranças ou afetos passíveis de se conflitarem com a visão que tem de si próprio ou na sua relação com o mundo. 

Segundo Freud, essa estrutura nem sempre deve ser considerada uma patologia. O estado patológico é entendido quando a pulsão reprimida incide em gerar desprazer ao invés de prazer. 

Devido a atributos como baixa autoestima, isolamento, timidez ou autopunição, o termo "recalcada" é utilizado comumente para indicar uma pessoa invejosa ou reprimida, muitas vezes como forma de insulto.

Falando nisso, reparem só a conversa entre duas comadres:

- Ali é recalcada!
- Pois é, mulher, aquela ali se ilude achando que é o que não é e nunca será...
- E não é nada, mas acha que é tudo, melhor do que todo mundo... 
- A última cocada da face da terra... 
- Mesmo sendo uma fuleragem... 
- Acha os outros ridículos, sendo que ela é muito mais ridícula! 
- É uma doente, invejosa que só... 
- Ali quer tudo que você tem! 
- Pense num olho gordo! 
- E só vive querendo derrubar quem tiver na frente dela...
- Mas, a mim não consegue, porque sou igual a gato: caio, mas caio em pé! 
- E é só criticando o povo...
- E é porque não sabe fazer nada, mas acha que é tudo! 
- E se considera melhor do que todo mundo... 
- Vive achando os outros ridículos, mas ela é muito mais ridícula!
- Invejosa, ambiciosa, falsa, traidora, mentirosa...
- É, só sabe mentir e fazer a vida dos outros um inferno...
- É uma mal-amada, que se acha e só quer ser as pregas! 
- Pensa que é o máximo, mas não é absolutamente nada! 
- Morre de inveja dos outros!
- Até mesmo gostando, só pra se sentir melhor, desmerece os outros...
- Falsa...
- Sei não, é uma reprimida... 
- Mal resolvida na vida... 
- Uma pessoa que não sabe direito o que quer, que ainda não se encontrou... 
- Quer saber de uma coisa?
- O que? 
- Não vamos mais perder nosso tempo falando dela, não... 
- É, você tem razão. Não vale a pena, não...

(Foto: Google)

Quentura medonha


Deu na revista Climatologia Geográfica que as 5 cidades mais quentes do Brasil são: Palma, Tocantins; Corumbá, Mato Grosso do Sul; Teresina, Piaui; Cuiabá, Mato Grosso; e Carolina, Maranhão.

Sobre o assunto, repasso um trecho de uma carta que recebi de uma amiga que mora numa cálida cidade do sertão cearense.

“Totonho, não sei se foi por causa do calor que está fazendo por aqui, não, mas, lá em casa a quentura tá tão medonha, chega as pás do ventilador de teto do meu quarto derreteram!”

(Foto: Acervo Mônica Chicuta)

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

O poliglota Bosco

video

É notório que uma das maiores aptidões que o multilíngue Bosco Martins possui é a capacidade de dominar idiomas, notadamente, o inglês.

Excelente poliglota, Bosco domina inglês, espanhol, francês, italiano, mandarim e a língua do pê.

Trama


Diz-se trama, o enredo de uma novela ou filme, feito para dar sentido nas ações e criar emoção no espectador. 

Na tecelagem, trama é o entrelaçamento de fios horizontais e transversais, para formar um tecido.

(Foto: Google)

Sobreviventes de Auschwitz


A sobrevivente do campo de concentração de Auschwitz Eva Fahidi, 90, segura foto de sua família, que foi morta no campo durante a Segunda Guerra Mundial. Na foto de 12 de janeiro, Fahidi está em Budapeste, Hungria. Ela tinha 18 anos em 1944 quando foi levada junto da família da cidade húngara de Debrecen até Auschwitz-Birkenau.

Fonte: Uol.
(Foto: Laszlo Balogh/Reuters)

Interesseira


Pense numa menina interesseira, a namorada que o Mourinha arranjou!

Pois é, quando ele falou que tinha 2 milhões no banco, a oferecida já se entregou para ir à casa dele. Mas, lá chegando, sofreu a decepção!

Na verdade, Mourinha não mentiu, nem, muito menos omitiu coisíssima nenhuma. Os milhões eram grandes milhos (Zea mays) que repousavam sobre um banco de sentar, de matéria plástica, posicionado num encardido canto de parede de sua modesta morada. 

(Foto: Google)

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Mona Lisa, de Leonardo da Vinci

Leonardo Da Vinci - Mona Lisa - 1503/1506 - OSM - 77 x 53 cm.

Considerada uma das mais populares pinturas do artista renascentista Leonardo da Vinci (1452-1519), Mona Lisa foi retratada entre os anos de 1503 e 1506. Também conhecida como Gioconda, ela é uma pintura em óleo sobre madeira de álamo e encontra-se exposta no Museu do Louvre, em Paris. 

Sobre a identidade de Mona Lisa existe um grande mistério. Estudiosos da história da arte aventam algumas hipóteses. Poderia ser uma imagem idealizada de mulher, pintada pelo artista; um autorretrato de Leonardo da Vinci, vestido de mulher; e a mais aceita no momento, de que Mona Lisa era Lisa Del Giocondo, esposa do rico comerciante italiano Francesco del Giocondo.